PRODUTOS DOMÉSTICOS VS PRODUTOS PROFISSIONAIS

ESTUDO DE CASO

As empresas procuram sempre reduzir custos em praticamente qualquer oportunidade que encontram no seu caminho, certo?

E o setor de limpeza acaba por ser uma das vítimas desse corte de “despesas” em grande parte dos casos.

No entanto, reduzir os custos neste setor, em muitas das vezes, não garante economia e poupança.

Este estudo de caso pretende mostrar-lhe o porquê de uma grande parte das opções pela redução de custos está errada. Muitas vezes, o barato acaba por sair mais caro!

O Cliente

O caso surge de um acompanhamento de mentoria que fiz a um Agrupamento de Escolas em 2021. 

Apesar de ter uma boa equipa de assistentes operacionais que asseguravam as rotinas de limpeza, nas primeiras reuniões apercebi-me de várias oportunidades de melhoria, que viriam a reduzir os gastos em limpeza.

Como meio de redução de custos, o Agrupamento usa maioritariamente produtos de limpeza domésticos nas suas rotinas de trabalho, alguns deles até de excelente qualidade e de marcas bem cotadas no mercado.

O DIAGNÓSTICO

Primeiramente, começámos por fazer um levantamento do histórico de consumo de produtos para termos um ponto de partida neste estudo de caso. Assim, foi considerada uma média mensal de consumo dos produtos baseada no histórico de faturação do Agrupamento.

Também pelo histórico de faturação, foi possível apurar que 75% dos produtos de limpeza consumidos são da linha doméstica.

Posteriormente, procurámos entender melhor como o Agrupamento utilizava os produtos, pelo que decidimos acompanhar uma equipa de 4 assistentes operacionais, responsável por um dos edifícios, durante 2 semanas.

Conforme acordado, visitámos o Agrupamento e procurámos entender exatamente como funcionava relativamente às rotinas e processos de limpeza, bem como respeitante à utilização dos produtos de limpeza.

AS INSTALAÇÕES

O estudo de caso incidirá sobre apenas um dos edifícios do Agrupamento, que é composto por:

Produtos de Limpeza:
Análise e Sugestões

Decorridos alguns dias de observação nas rotinas de limpeza, já era possível pontuar muitas das melhorias que precisavam de ser feitas.

LIXÍVIA

Consumo

48L/mês

Finalidade

A equipa de assistentes operacionais misturava a lixívia com outros produtos de limpeza, para higienizar sanitários e para branqueamento de panos e esfregonas.

Sugestão

Percebendo o uso excessivo de lixívia, agravado com a situação de misturas de produtos de limpeza alertámos para o facto de este ser um produto tão prejudicial à saúde e que danifica muitas superfícies, pela sua corrosividade.

Além disso, usavam 2 tipos de lixívias - a tradicional e uma perfumada de marca líder de linha doméstica. Sugerimos a utilização do B102 - Detergente Higienizante Clorado em Gel, em detrimento da lixívia.

Quantidade proposta

12 Bidões 5L de B102 por mês.

Vale ressalvar que mantivemos 6 unidades de lixívia, apenas com a finalidade de efetuar o branqueamento dos panos de limpeza e esfregonas.

LAVA TUDO

Consumo

30L/mês

Finalidade

A equipa usava este produto para limpeza molhada dos pisos das salas, casas de banho e corredores.

Sugestão

Nas casas de banho já foi substituído pelo B102 - Detergente Higienizante Clorado em Gel, conforme o ponto anterior.
Nas salas e corredores, substituímos pelo S174 - Detergente Desinfetante Concentrado, cuja recomendação de diluição é de 1%.

Quantidade proposta

2L desse produto bastou para substituir.

DESINFETANTE DE SUPERFÍCIES

Consumo

40 unidades de 500ml por mês (20L/mês)

Finalidade

É o produto mais usado, pelo contexto de pandemia ainda vivido. O produto servia para desinfetar todo tipo de superfícies.

Sugestão

Como resposta, sugerimos o uso do S174, também, uma vez que é um produto de excelente rendimento e capaz de substituir facilmente qualquer desinfetante comum.

Quantidade proposta

Uma unidade de 1 litro de solução. O rendimento é de 100 litros por frasco, suficiente para durar até 2 meses e meio.

Além disso...

... reduzimos a quantidade de frascos pulverizadores que eram descartados. Passaram a usar os frascos PEAD de 1L devidamente rotulados, conforme a quantidade de pulverizadores que precisavam. Neste caso, foram usados 4 frascos - 1 para cada operadora.

MULTIUSOS

Consumo

20 unidades de 500ml por mês (20L/mês)

Finalidade

O produto era de alta qualidade e líder entre os produtos de linha doméstica, usado para limpar paredes, portas, mobílias, espelhos, etc.

Sugestão

Trocámos pelo S01 - Vidros e Multisuperfícies

Quantidade proposta

1 Box de recargas de 100ml do S01 foi o suficiente para evitar o uso e consequente descarte de 20 frascos de plástico do outro produto de limpeza doméstico.

E mais uma vez...

... diminuímos drasticamente o volume de resíduos de embalagens.

ÓLEO DE CEDRO

Consumo

15 frascos de 200ml por mês (3L/mês)

Finalidade

A equipa usava nas mobílias e portas.

Sugestão

Percebemos que nenhum local necessitava da aplicação do óleo de cedro ou de outros produtos de limpeza doméstico desse tipo. Todas as portas e mobílias eram impermeáveis.

Quantidade proposta

Decidimos eliminar a utilização de qualquer produto que fosse destinado a essa finalidade.

Vale ou não a pena utilizar Produtos de Limpeza domésticos?

O resultado destas mudanças iniciais foi surpreendente. Tanto para a equipa de limpeza, quanto para os órgãos administrativos e financeiros do Agrupamento.

Houve uma redução tão grande no uso de produtos de limpeza, que o processo de limpeza passou a ser muito mais simples.

Mesmo achando as mudanças “muito exageradas” no início, as assistentes operacionais acabaram por se habituar. Posteriormente, até adotaram este processo de limpeza no seu dia-a-dia pessoal.

O processo tornou-se mais simples como um todo, logo a logística de limpeza também ficou mais clara.

Como consequência, a formação de novos elementos da equipa agora também é mais fácil. Isto é: menos itens, menos processos é igual a melhor logística e maior eficiência.

Outra alteração experienciada foi também o aumento da segurança no ambiente de trabalho, com a eliminação de tanta lixívia e das “misturas”.

E Fazendo as contas:

É bastante percetível que os produtos de limpeza domésticos não traziam quase nenhum benefício para o Agrupamento.

Conforme mostrado no resultado, houve uma redução muito grande de itens necessários para a limpeza das instalações e superfícies.

A fim de facilitar a conclusão, nós calculamos:

resultado

REDUÇÃO

GASTOS MENSAIS
1 %

Tendo em conta tudo o que foi apresentado, podemos concluir que: existe sim uma grande diferença entre os produtos de limpeza domésticos e os profissionais. Vimos que os produtos concentrados possuem um melhor custo-benefício e ainda são mais práticos.

E não é necessário misturá-los com nenhum outro tipo de produto químico para obter um melhor resultado. O tipo de misturas feitas, além de perigosas, não são tão eficientes quanto os produtos de limpeza profissional.

Além disso, ficou muito claro que a equipa era carente de (in)formação. Na maior parte das vezes, ao perguntar a alguém sobre limpeza, essa pessoa listava materiais e procedimentos de limpeza comumente usados em casa.

0S 4 PASSOS SEGUIDOS PARA ATINGIR ESTES RESULTADOS

Existem 4 pontos que precisam de estar completamente alinhados. Só dessa forma é possível ter um sistema de higiene profissional eficiente e que garanta resultados.

Para se criar o sistema em causa são necessários seguir os 4 passos seguintes:

Passo 1

Concentrar-se nas 2 principais ações de um gestor:
- Liderar pessoas
- Gerir processos

Passo 2

Conhecer 2 métricas:
- Consumos médios mensais com produtos
- Tempos médios de limpeza de cada área

Passo 3

Criar o sistema:
- Produtos adequados
- Processos estruturados
- Pessoas capacitadas
- Planeamento operacional

Passo 4

Alinhar o fluxo:
- Equipa
- Objetivos do negócio
- Sistema

Existem 2 formas de aplicar estes 4 passos:

– MANEIRA MAIS DIFÍCIL

   Criar o sistema de higiene profissional na empresa por tentativa e erro e pode ser que tenhas muita sorte e daqui a 1 ano esteja a funcionar.

– MANEIRA INTELIGENTE

   Pedir o sistema a quem o tem e obter os resultados de forma mais rápida, segura e eficiente.

O QUE DIZEM OS MEUS CLIENTES

5/5

PARA QUEM SÃO OS NOSSOS SERVIÇOS?

Direcionamos os serviços para empresas que trabalham ou pretendem trabalhar orientados por processos nas seguintes áreas:

Indústria Alimentar

Ensino

Instituições

Hospitais e Clínicas

Hotelaria e Restauração

QUER CONHECER MAIS RESULTADOS ANTES DE AVANÇAR?

o 1.º passo para TER estes resultados

Marque uma consulta gratuita comigo e vamos perceber como poderei ajudá-lo a ter um sistema de higiene profissional a funcionar na sua empresa.

QUEM É A CARLA LIMA?

Apaixonada por empreendedorismo e por gestão por processos, trabalhei vários anos na área financeira e da gestão da qualidade. 

Iniciei a consultoria a empresários há 7 anos, com a minha 1.ª empresa, e há 5 anos que me especializo em consultorias na área da higiene profissional, onde consigo resultados como:

– redução de mais de 40% da despesa média mensal, com a simplificação dos planos de higienização e uniformização dos produtos usados;

– redução dos custos na ordem dos 30%. com a estruturação do departamento de limpeza de grupos e franchisings.

Tudo o que faço tem como motivação o CRESCIMENTO de negócios, através de mentorias, consultorias e formações para empresários e equipas da área da higiene profissional.

 

Alguma Dúvida ou Questão Adicional?

Para esclarecer qualquer questão ou dúvida adicional, fale conosco no WhatsApp pelo n.º (+351) 933 090 747.
Se preferir envie um email para carla@carlalima.pt, ao qual responderemos assim que possível!

Este produto não garante a obtenção de resultados. Qualquer referência ao desempenho de uma estratégia não deve ser interpretada como uma garantia de resultados.

 

 

 

Seleccione um ponto de entrega

Procura fazer uma gestão inteligente da higiene e limpeza?

Marque uma sessão gratuita comigo e fique a saber como posso ajudar a reduzir 20% dos custos em higiene e limpeza na sua empresa.